terça-feira, 20 de fevereiro de 2018

Notícias Soltas

Preocupações Para Levar Em Conta Muito Seriamente

I - Não sabemos quando a seca vai terminar. 

“O Alqueva corre o sério risco de não ser utilizável já a partir de 2019"
Os partidos estão estado de negação sobre a seca em Portugal. E nem falam da 
única solução: ir buscar água ao mar, acusa o empresário José Roquette.
Para além das alterações climáticas, outra das suas preocupações atuais é o efeito dos populismos, seja na política, no futebol ou na banca.

Na Península Ibérica tem havido um decréscimo de precipitação anual.
Só faz sentido ter barragens se elas poderem encher. A situação a Norte é um bocadinho melhor, mas não é muito melhor do que abaixo do Tejo. Mas o que é preciso é entender que o problema é mesmo a entrada da água. Nas suas nascentes, o Douro e o Tejo já secaram.
Face a esse cenário, o que é que se pode fazer?
Se não chove, só há uma alternativa: é ir buscar a água onde ela está, que é o mar. E em Portugal falar de dessalinização é uma coisa que ainda está lá por trás do sol posto, ignorando que a Espanha é o quarto país do mundo na produção de água dessalinizada. A Espanha tem mais de 700 dessalinizadoras instaladas que, só por si, produziriam água utilizável para Portugal inteiro. Aqui em Portugal, que eu saiba, temos uma muito pequenina em Porto Santo. Mas o que não existe é a perceção... é que podia dizer-se: "Talvez para o ano". Mas esta questão não se põe, é o tal estado de negação.
II - "O problema demográfico e da produtividade não se resolvem espontaneamente" 
Tem que haver políticas", insistiu a responsável aos deputados, referindo que não há em Portugal nenhuma investigação nesta área e que os modelos de outros países não poderão ser simplesmente replicados.

"É preciso muito mais trabalho estrutural", sublinhou.É necessário, de acordo com a economista, antes de mais, vontade em reconhecer o problema, e "não interessa de quem foi a culpa", diagnosticá-lo e procurar soluções.

"Os problemas não são insolúveis e nós já mostrámos que somos capazes de resolver os problemas e o nosso problema é mais o médio longo prazo e não o simples curto prazo", disse a economista, destacando, pela positiva, o facto de a retoma não ter sido acompanhada do agravamento do défice externo, "tendo antes assentado em grande parte no comportamento favorável das exportações".

Teodora Cardoso, NM

Incentivo ...

"Entre dois males, escolha sempre o que você ainda não experimentou."

segunda-feira, 19 de fevereiro de 2018

Notícias Soltas

Assim Acontece ...

Com a sociedade em mudança acelerada e a generalidade dos partidos presa aos seus velhos métodos, rituais caducos, prioridade ao taticismo e canais de comunicação desajustados, não será por milagre que as “políticas 4.0” vão nascer. O mais certo é que se acentue a tendência que já existe: políticos e políticas vão andar cada vez mais a reboque e com um atraso cada vez maior em relação à realidade, às dinâmicas sociais e económicas e à sua verdadeira necessidade.
E isso colocará cada vez mais o Estado num de dois papéis, ambos muito negativos: um factor de atraso ou um elemento passivo, que pouco ou nada conta.
Nada a que não estejamos já habituados nestas coisas do sistema político e da relação entre eleitores e eleitos. Estamos, afinal, no país que há décadas discute, sem que nada aconteça, a reforma do sistema eleitoral para que cada um de nós saiba em que deputado está a votar. E este país da Web Summit é também o mesmo que não consegue uma coisa tão simples como ter os cadernos eleitorais em ordem. É mais fácil, sem dúvida, pôr uma vaca a voar. Para isso basta perguntar a Elon Musk e ele faz.
Paulo Ferreira, ECO 

Sorriso Audível Das Folhas

Sorriso audível das folhas 
Não és mais que a brisa ali 
Se eu te olho e tu me olhas, 
Quem primeiro é que sorri? 
O primeiro a sorrir ri. 

Ri e olha de repente 
Para fins de não olhar 
Para onde nas folhas sente 
O som do vento a passar 
Tudo é vento e disfarçar. 

Mas o olhar, de estar olhando 
Onde não olha, voltou 
E estamos os dois falando 
O que se não conversou 
Isto acaba ou começou? 

Fernando Pessoa

domingo, 18 de fevereiro de 2018

Opiniões Sobre O Arranque De Rui Rio

8 opiniões rápidas sobre o arranque de Rui Rio

  1. Alberto Gonçalves. Um imenso vazio
  2. Helena Matos. E no fim ganhou Marcelo
  3. Alexandre Homem Cristo. Com os olhos no pós-2019
  4. Maria João Marques. Paz, pão, povo e social-democracia
  5. Miguel Pinheiro. Rio vai contra uma parede
  6. Filomena Martins. Será assim tão mau chamar a Rio o Costa do PSD?
  7. Helena Coelho. Fantasmas e estados de graça
  8. Luís Rosa. Um rio que ainda não tem foz

Resultados Das Eleições PSD

A lista de "unidade" encabeçada por Pedro Santana Lopes para o Conselho Nacional do PSD conseguiu 34 em 70 lugares, apurou o JN junto de fontes do PSD.

A expectativa sobre os resultados era grande, uma vez que apesar dos apelos à unidade, houve oito listas à votação.
Nesta eleição houve outras duas listas que conseguram bastantes assentos no Conselho Nacional. A de Carlos Reis, apoiante de Santana, conseguiu 13 lugares, e a de Bruno Vitorino, 10.


A lista de Rui Rio à Comissão Política Nacional conseguiu 64,76% de votos favoráveis, o que corresponde a 476 votos a favor em 735 votantes. A lista de Rio somou ainda 190 votos brancos e 69 nulos, que correspondem, juntos a cerca de 35% dos votos. A votação de Rio é inferior à de Passos em 2016, 

Nota: Rio decidiu avançar uma mudança profunda na bancada parlamentar e impôs uma redução do número de vice-presidentes. Dos atuais 12, o futuro líder só irá contar com seis vices.

Imaginar ...

Imaginar é o princípio da criação. Nós imaginamos o que desejamos, queremos o que imaginamos e, finalmente, criamos aquilo que queremos.

George B Shaw

sábado, 17 de fevereiro de 2018

Notícias Soltas

Aumento Do Crédito Hipotecário Começa A Ser Preocupante


Um dos fatores que mais contribuíram para a grande penosidade social da crise de 2011 foi o sobre-endividamento dos particulares, sobretudo com o crédito à habitação, que o laxismo do Governos e do Banco de Portugal tinha deixado disparar.
Todavia, como mostra o quadro ao lado (colhido aqui)o crédito à habitação, que sofreu uma drástica redução no auge das recessão, começou a recuperar logo em 2014, com o início da retoma económica, e tem acelerado desde então, por efeito dos juros extremamente baixos, tendo atingido no ano passado o máximo desde 2011, nas vésperas da crise, apesar de o PIB ainda não ter recuperado o nível de antes da crise.
Face ao nível extremamente baixo de poupança interna, este disparo do crédito hipotecário não pode deixar de ser preocupante, sobretudo tendo em conta que a taxa de juro há de voltar a aumentar algures num futuro próximo, sobrecarregando os orçamentos familiares dos endividados. 



Fonte: Aqui e aqui

O Primeiro Discurso De Rui Rio (leitura guiada)

O primeiro discurso de Rui Rio foi, sobretudo, para dentro do partido. Deu pistas de análise, linhas de atuação, mas será necessário esperar pelo “Rio, parte II”, no encerramento do congresso, para fazer a bissetriz do que vai ser o novo PSD com um novo líder.

António Costa, faz uma leitura guiada à primeira intervenção do novo líder do PSD.

Tópicos: A clarificação, A crítica, A ética, A unidade, A ideologia, A dúvida (pode ler aqui) 

A Lâmpada Nova

A lâmpada nova
No fim de apagar
Volta a dar a prova
De estar a brilhar.
Assim a alma sua
Deveras desperta
Quando a noite é nua
E se acha deserta.
Vestígio que ergueu
Sem ser no lugar
De onde se perdeu...
Nasce devagar!

Fernando Pessoa (3-8-1934)

sexta-feira, 16 de fevereiro de 2018

Notícias Soltas

*Sem-abrigo português falecido em Londres era ex-modelo

A Conscientização E O Medo

“A maior descoberta na vida, o tesouro mais precioso, é o da conscientização.Sem isso você está destinado a ficar na escuridão, cheio de medos.E você irá continuar criando novos medos; não há um fim para isso.Você irá viver no medo, você irá morrer no medo, e você nunca será capaz de sentir o sabor da liberdade.E isso era o tempo todo seu potencial; a todo o momento você podia tê-lo reclamado, mas você nunca o reclamou.É sua responsabilidade.” 


Osho

Embora o medo seja uma reacção de alerta muito importante para a sobrevivência dos seres humanos, em alguns casos ele pode ser paralisante. Medo da mudança, medo do fracasso, medo do desconhecido, medo de errar, medo de ser diferente, medo de ser rejeitado. Tudo isto pode nos paralisar.

20,8% das pessoas sentem medo de alguma coisa todo o tempo. O medo tornou-se um dos maiores problemas psicológicos do nosso tempo – e virou parte do dia a dia de todo mundo.

Se continuamente evitarmos aquilo que nos causa medo, podemos acabar no lado mais sombrio da nossa zona de conforto, afectando a nossa vida nas mais diferentes áreas, afinal, o medo tem o poder de mudar a maneira como tomamos decisões sobre nossas vidas.

Algumas verdades que o irão ajudar a controlar o medo, ao invés de deixar que ele o domine:


A- É preciso reconhecê-lo e admiti-lo.
«Coragem é a resistência ao medo, domínio do medo, e não a ausência do medo» 
Mark Twain


B- Questionar os  seus pensamentos
Sempre que começar a pensar de forma negativa, force a parar o seu pensamento. Há um ponto, em que simplesmente tem que perceber que estes pensamentos estão lhe a causar medo, e a bloqueá-lo 


C- Perceba  que a maioria dos seus medos são irracionais
«Há apenas uma coisa que faz um sonho impossível de alcançar: o medo do fracasso.»  
Paulo Coelho

quinta-feira, 15 de fevereiro de 2018

Notícias Soltas

Esta É A Frase

Parece, mas não é. Parece que se quer disciplinar financeiramente a ADSE, e não se duvida que seja esse o objectivo, mas o resultado que se poderá obter é degradar o ainda invejável serviço de saúde que os funcionários públicos têm. No limite, se a falta de visão reformista se mantiver, o sistema da função pública corre o risco de acabar e, por via disso, agravar-se a assistência na doença da maioria dos portugueses. Quem tiver dinheiro está sempre salvo.

Helena Garrido,OBSR

Estar Cheio De Vida É ...



... É Respirar Profundamente, mover-se Livremente E Sentir Com Intensidade

Alexander Lowen